//
Últimas reportagens
Homenagem ao autor

Espelho da Sociedade

Por: Estela Chen*

Sendo uma obra dramática, ‘O Pagador De Promessas’ apresenta vários conflitos sócio-culturais na sociedade brasileira, até discute os defeitos da humanidade. A partir de 3 atos, o autor Dias Gomes apresenta as diversas personagens mostrando as suas posições em relação à nossa personagem principal—-Zé-do-burro.

Tudo aconteceu num dia especial—–festival de Santa Bárbara. Zé-do-burro, que era um homem simples, tinha andado 7 léguas com uma pesada cruz de madeira, querendo cumprir a sua promessa que tinha feito para o seu amigo—um burro. O que o Zé desejava devia ser muito fácil, tornando-se uma questão social. Ele tinha qualidades de honesto, tolerante, simples e confiável, o que o fazia ser o alvo atacado pela maioria da sociedade.

Se o Zé conseguiria ou não para pagar a sua promessa e todo o esforço dele para conseguir, são dois assuntos principais discutidos na obra. No processo de cumprir a promessa, os obstáculos apareciam: o padre proibia o de entrar na igreja, traição da mulher do Zé, algumas pessoas fingiam que queriam ajudá-lo mas desistiram e as autoridades observavam o Zé como um elemento perigoso, um ameaçador. Podemos perceber que o Zé é a única pessoa quem persistia em pagar a sua promessa enquanto outras pessoas queriam o convencer de abandonar a promessa dele, até a sua mulher queria sair desta atmosfera sufocante.

Havia as personagens que pertenciam à mesma classe social que o Zé, como Galego, Minha Tia, Dedé e Guarda, que tinham pena do Zé, querendo dar uma mão. Mas quando o assunto era ser  contra religião católica, eles recuavam. Espiamos a indiferença das cidadãos. Individualismo e egoísmo falam mais alto na sociedade moderna, particularmente nas cidades. As pessoas consideram seus interesses próprios em vez de dar carinhos para outros que sofrem de dores.

O repórter era uma personagem que apresentou a voz da imprensa. Em vez de denunciar a verdade para o público, ele só tinha interesse em valor de notícias e circulação do jornal. Este fato é uma grande ironia. Mídias que deviam ser defensoras de verdades, transformam-se em diabo que distorcem as realidades, escondendo os olhos do povo. Ao lado das mídias,a delegacia que tem o objetivo de proteger os direitos legais dos cidadãos, é um cúmplice quem atribuiu à tragédia do Zé diretamente. Nos seus olhos, quem está contra o sistema estabelecido é ‘terrorista’, sem que dar atenção ao motivo dele.

O autor apresenta o tema da intolerância da religião católica obviamente no livro. Quer monsenhor, quer padre Olavo, ambos em nome de Santa Bárbara, recusaram o pedido do pobre—Zé. Encarando as outras religiões, catolicismo mostra a impossibilidade de conviver com as outras. Superando de ser uma força mental das pessoas, religião católica invade em sociedade e impede o processo social.

Com uma visão crítica, Dias Gomes é gênio em criar umas personagens representantes e apresentá-las numa peça de obra. A descrição das figuras, o que elas falam, tudo são atentamente planejados pelo autor.

Quais são as raízes sociais que causam a morte do Zé? O que é que nós deveríamos fazer para evitar este tipo de tragédia? Este livro ‘Pagador de Promessas’ é o espelho da sociedade brasileira, ao mesmo tempo que reflete realidades importantes, deixando os leitores brasileiros pensar no futuro do Brasil.

* Estudante do PPE. Chinesa.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: